Blog Na Grade do MMA

Maldonado é traído pela própria confiança, mas Brasil acaba com incômodo jejum no UFC

Jorge Corrêa

Com uma carreira impecável e invicta no boxe, com 22 vitórias sendo 21 por nocaute, Fábio Maldonado chegou ao UFC apostando em suas mãos, mas mais uma vez foi traído por sua enorme confiança nelas. Apesar de ter acertado grandes golpes no croata Igor Pokrajac no UFC on Fuel TV 3, ele deixou a luta nas mãos dos juízes e acabou derrotado.

>> Siga o blog no Twitter: @NaGradedoMMA
>> Leia todas as notícias de lutas no UOL Esporte

O paulista de Sorocaba usou todo sua experiência do boxe, com sequências de golpes curtos que iam castigando o adversário. No entanto, ele virava presa fácil para Pokrajac quando estava no clinch, levando uma série de joelhadas, golpes que sempre impressionam os juízes.

Em uma das paradas entre os rounds, ele até chegou a dizer para seus técnicos que aguentaria bem as joelhadas, que queria evitar apenas ir para o chão. Aguentar ele até conseguiu, mas levou muitos desses golpes.

Vendo seu boxe entrar bem, ficou cozinhando a luta em alguns momentos, mas também levou bons diretos. No entanto, faltou ser mais eficiente, mais assertivo, acertar golpes de maior impacto. Com isso, Igor Pokrajac conseguiu a vitória em decisão unânime dos juízes, com um (cego) deles dando 30 a 27 para o croata.

O público vaiou o resultado e o próprio presidente do UFC, Dana White, não concordou. Para ele, o brasileiro venceu por 29 a 28 o combate. Mas fica a lição, que por mais que o paulista confie em seu jogo, ele precisa se apresentar de maneira mais eficiente em sua próxima luta.

Mas essa derrota de Fábio Maldonado não atrapalhou o fim de um incômodo jejum para os lutadores brasileiros no maior evento de MMA do mundo. Depois de três meses seguidos de ter apenas derrotas, a pior série em oito anos, o país voltou a vencer no evento, em duas lutas no card preliminar.

O primeiro resultado foi com o carioca Johnny Eduardo. Com uma atuação sem erros, mas ainda sim sem nenhuma grande chance de finalizar ou nocautear, ele derrotou Jeff Curran por pontos. Já Rafael dos Anjos precisou de apenas 1min40 para acertar um chute alto e depois pegar um mata-leão para derrotar o iraniano Kamal Shalorus. Já Carlo Prater acabou sendo atropelado TJ Grand.

>> Confira mais detalhes das lutas dos brasileiros
>> Veja como foram todas os combates do evento

Em tempo: O Zumbi Coreano teve uma das atuações mais brilhantes no ano e protagonizou uma das melhores lutas de 2012 até agora. Vitória sensacional sobre Dustin Poirier. Ele está Mais do que credenciado para disputar o cinturão dos penas que atualmente é do brasileiro José aldo.