Blog Na Grade do MMA

Com show e sem provocar, Cigano se firma como “bonzinho” e campeão queridinho do UFC

Jorge Corrêa

Direto de Las Vegas, post com o parceiro Maurício Dehò

Nos Estados Unidos, usa-se muito o termo “nice guy'', que pode ser simplesmente traduzido como “bonzinho'' e, nesse momento, provavelmente nenhum termo definiria melhor o campeão dos pesados do UFC Junior Cigano. Sua campanha na edição 146 reforçou essa sua imagem, que foi coroada com sua primeira defesa de cinturão do evento.

>> Confira a cobertura completa do UFC 146
>> Siga o blog no Twitter: 
@NaGradedoMMA
>> Leia todas as notícias de lutas no UOL Esporte

Desde que a luta foi anunciada, mesmo ela sendo contra Frank Mir, maior algoz de seu mestre Rodrigo Minotauro, em nenhum momento Cigano entrou em provocações, nunca colocou uma possível vingança em pauta e sempre tratou tudo apenas no âmbito esportivo.

“Eu sou um cara assim, sempre positivo, sempre sei o que quero. Não vim aqui para vingar ninguém, vim aqui apenas para manter meu cinturão e foi o que eu fiz. Mir é um grande lutador, um adversário duro, mas me preparei bem para ele'', contou Cigano, de forma sempre política.

Com esse seu jeito calmo e bonzinho, ele está atraindo um número ainda maior de fãs, não só no Brasil. Dessa forma, vem abrindo espaço para o que realmente importa em sua carreira: suas grandes atuações dentro do octógono do UFC.

Contra Frank Mir, o brasileiro teve uma apresentação impecável e que contagiou todo o ginásio. Em nenhum momento deu chance para o rival, saiu fácil da única tentativa de queda e golpeou como quis o norte-americano. Um verdadeiro show do campeão dos pesados.

Com todos esse fatores citados acima, Junior dos Santos se firmou de vez como um dos campeões queridinhos do UFC. Não é um Jon Jones, que bateu um carro após beber, ou um Anderson Silva, que volta e meia se envolve em alguma polêmica por sua marra.

Cigano é, para o presidente Dana White, o funcionário que todo chefe gostaria de ter. “Ele é exatamente esse cara que todo mundo vê aqui, tranquilo, educado. Nunca tive um único problema com ele, mesmo os problemas normais, que qualquer pessoa tem. Se todos fossem como Junior, minha vida seria bem mais tranquila'', brincou o chefão do UFC.

>> Brasileiros invadem Vegas para apoiar Cigano e Dana prevê torcida maluca no UFC 148
>> Cigano cumpre promessa e nocauteia em sua primeira defesa de cinturão

>> Disputa de cinturão vira Brasil x EUA e Cigano estraga feriadão de americanos