Blog Na Grade do MMA

Arquivo : março 2017

Cigano e Miocic fazem “competição de músculos” durante partida da NBA
Comentários Comente

UOL Esporte

Perto de se enfrentarem pelo cinturão dos pesos pesados do UFC, Junior Cigano e Stipe Miocic protagonizaram um momento divertido na última quinta-feira (23).

Durante a partida da NBA entre Dallas Mavericks e Los Angeles Clippers, a dupla competiu para ver quem conseguia mostrar mais os músculos.

O público pareceu gostar bastante da brincadeira, enquanto os lutadores não tiveram o sorriso do rosto.

E a promoção da luta do dia 13 de maio, no UFC 211, seguiu com bom-humor. Nesta sexta-feira (24), em participação em uma rádio americana, Cigano aproveitou para arriscar uns passos de dança, enquanto Miocic o encarava pelo vidro.


Lutador de MMA dá mata-leão em árbitro após ser derrotado em combate
Comentários 5

UOL Esporte

O octógono pode não ser o lugar mais seguro para se ficar durante uma luta pelo perigo de levar um soco ou um chute, mas também pode ser um lugar perigoso depois do final do combate. O árbitro de uma disputa de MMA nos Estados Unidos, que aconteceu no último final de semana que o diga.

O lutador Joseph Nehm acabou derrotado por Ryse Brink, que logo depois de acabar com o adversário, foi comemorar com a galera. Mas o “combate” mais incrível da noite foi mesmo contra o árbitro.

Joseph Nehm ficou desorientado depois da luta e não percebeu que o combate havia chegado ao fim. Quando o árbitro chegou próximo a ele, Nehm foi para cima do árbitro e tentou dar um mata-leão no oficial (veja no vídeo acima em 30s). O combate era pelo Knockout Promotions KOP 54 MMA.

Imediatamente os outros oficiais se aproximaram para ajudar o árbitro a se livrar do lutador descontrolado.


Dentro de ambulância e com rosto destruído, sueca comemora vitória no UFC
Comentários 21

UOL Esporte

A sueca Lina Lansberg ficou com o rosto destruído e precisou sair do octógono diretamente para a ambulância. Mas nem isso tirou a alegria da lutadora após seu triunfo sobre Lucie Pudilova pelo UFC Londres.

“Obrigado a todos pelos apoio. Eu amo vocês”, disse a lutadora em um vídeo em seu perfil no Instagram.

Depois, falou sobre sua situação no Facebook e disse não ter nenhum problema. “Estou muito bem. A ambulância foi apenas por diversão. Nada está quebrado e nem precise levar pontos. Estarei de volta aos treinos em três semanas”.

Lina Lansberg saiu com o rosto muito machucado | Crédito: Josh Hedges/Zuffa LLC


Sueca tem rosto “transformado” por rival no UFC Londres; veja fotos
Comentários 16

UOL Esporte

Lina Lansberg saiu com o rosto muito machucado | Crédito: Josh Hedges/Zuffa LLC

Você pode não acreditar, mas Lina Lansberg saiu vitoriosa do combate contra Lucie Pudilova no UFC Londres. Neste sábado (18), na Inglaterra, a sueca saiu com rosto muito castigado – e até conectou menos golpes -, mas, mesmo assim, foi declarada vencedora por decDeisão unânime (triplo 29-28).

Depois de três rounds de trocação, Pudilova arriscou 277 golpes, conectando 163, sendo 99 deles significativos (89% foram diretos na cabeça da rival). E o estrago pode claramente ser visto no rosto da sueca, que saiu ensanguentada do octógono em Londres.

Lina, por sua vez, teve o controle do cage por quase seis minutos (05:55), acertando 96 golpes, sendo 80 significavos. A sueca, que já foi derrotada pela brasileira Cris Cyrbog, ainda conseguiu uma queda de sete tentadas no combate.

Josh Hedges/Zuffa LLC


Lutadores protagonizam nocaute duplo em evento de MMA nos EUA; assista
Comentários 8

UOL Esporte


Nocautes duplos são raros nas artes marciais mistas, mas, vez ou outra, acontecem dentro do cage. E os fãs do esporte puderam acompanhar um desses momentos especiais. Aconteceu na edição 285 do Shamrock FC, evento realizado em Kansas.

No último sábado (11), Alan Vasquez e Axel Cazares se enfrentavam e, ainda no primeiro round, protagonizaram o lance. Faltando pouco mais de um minuto para soar o gongo, os dois, ao mesmo tempo, conectaram golpes com a mão direito. O resultado? Os dois caíram nocauteados.

Vasquez, no entanto, conseguiu se levantar de forma mais rápida, enquanto Caceres tentou, mas acabou caindo novamente. Assim, Alan foi considerado o vencedor do combate.


UFC Fortaleza será divisor de águas para Vitor Belfort e Maurício Shogun
Comentários 8

UOL Esporte

Fortaleza definirá futuro de Belfort (esq.) e Shogun (dir.) no UFC | Crédito: Divulgação/UFC

Por Guilherme Dorini

O UFC volta ao Brasil neste sábado (11), quando fará sua segunda edição em Fortaleza, no Ceará. E, mais uma vez, a organização apostou em dois veteranos das artes marciais mistas para liderar o evento. É verdade que Vitor Belfort e Maurício Shogun ainda possuem algum apelo ao público brasileiro, mas precisarão tomar cuidado dentro do octógono, já que seus combates poderão representar um divisor de águas em suas respectivas carreiras.

Ainda existe um Fenômeno?

Belfort é considerado um dos maiores lutadores de todos os tempos do esporte, mas tem abusado de seu nome para se manter na elite dos pesos-médios (até 84 kg) do UFC. Uma hora a idade, 39 anos, e o cartel pesarão (se é que já não estão pesando) e o cenário pode mudar. Por isso, uma vitória contra o peso-meio-médio (até 77 kg) Kelvin Gastelum, que está se arriscando na divisão de cima, é fundamental.

Depois de não conseguir tirar o cinturão de Chris Weidman em 2015, sendo nocauteado no primeiro round, Belfort se reergueu com uma vitória imponente sobre Dan Henderson em São Paulo. Mas, convenhamos, Hendo, com seus quarenta e tantos anos, já fazia hora extra na organização.

Na sequência, se arriscou contra dois tops dos médios, e enfrentou a dura realidade. Contra Ronaldo Jacaré, sucumbiu no primeiro round. Já contra Gegard Mousasi, até chegou ao segundo assalto, mas foi completamente passivo, dominado pelo rival e acabou nocauteado. Um Fenômeno irreconhecível.

Agora, neste sábado, a esperança é de que ao menos um pouco daquele antigo Belfort apareça. E, apesar da idade, a oportunidade é boa. Gastelum está longe de ser um adversário fácil, mas a diferença de tamanho – claramente notada durante as encaradas –, pode ajudar o brasileiro. Uma vitória dará novo fôlego ao Fenômeno. Para quê? Só o tempo dirá. Um revés, o terceiro seguido, com certeza fará o UFC pensar diferente em relação ao seu futuro.

Agora vai, Shogun?

Shogun vive situação semelhante, mas, ao mesmo tempo, diferente de Belfort. Confuso, não? Eu explico. Ao contrário de Vitor, o lutador paranaense vem de duas vitórias seguidas. Mas, então, por que o momento é parecido? Shogun simplesmente não empolga mais há um bom tempo.

Shogun dá a impressão de que lutava por um objetivo e, quando o alcançou, “cansou”. O ex-campeão do Pride chegou com uma grande expectativa no UFC. E correspondeu. Venceu nomes como Chuck Liddell e Mark Colaman antes de conquistar o cinturão dos meios-pesados (até 93 kg) de Lyoto Machida, em uma luta que marcava a revanche com o compatriota.

Depois, logo na sequência, teve seu cinturão tomado por um novato, ninguém menos que Jon Jones. Na sequência, subiu no octógono mais oito vezes, mas sequer emplacou duas vitórias seguidas. Foram três triunfos e cinco derrotas, sendo finalizado até mesmo por Chael Sonnen.

Shogun foi finalizado por Sonnen | Crédito: Jared Wickerham/Getty

Mas lembra que disse que, agora, Shogun vem de duas vitórias seguidas? Então, concluímos que esse é o melhor momento do brasileiro em seis anos, certo? Sim e não. Em números, sim. Seu desempenho, no entanto, deixa a desejar. Primeiro, venceu a revanche contra Rogério Minotouro por decisão unânime, apesar de não convencer todos os torcedores. Depois, em Curitiba, teve o braço erguido por decisão dividida contra Corey Anderson. Essa, sim, foi muito questionada.

Para sorte de Shogun, que fez apenas duas lutas em dois anos, a divisão dos meio-pesados é muito rasa (para não dizer fraca). Apesar de todo esse histórico, o brasileiro de 35 anos ainda é o sexto da categoria, que não sabe como Jon Jones voltará (se votar) e, frequentemente, repete desafiantes ao cinturão.

Neste sábado, ele enfrenta Gian Villante, apenas 12º da divisão, que também possui um cartel irregular na organização e não inspira muita confiança. Resta saber que Shogun entrará no octógono. Uma vitória certamente fará ele crescer na divisão e, quem sabe, voltar a enfrentar os tops por uma disputa de cinturão. Já uma derrota, ou até mesmo uma atuação apática, pode representar o fim da linha (ou de aspirações maiores) para o brasileiro.

Shogun venceu, mas não convenceu em Curitiba | Foto: Heuler Andrey/UOL

Confira tudas as lutas do UFC Fortaleza:
Acompanhe o evento em tempo real no Placar UOL Esporte

Card principal

Vitor Belfort x Kelvin Gastelum
Maurício Rua x Gian Villante
Edson Barboza x Beneil Dariush
Jussier Formiga x Ray Borg
Bethe Correia x Marion Reneau
Alex “Caubói” x Tim Means

Card preliminar

Francisco ‘Massaranduba’ x Kevin Lee
Serginho Moraes x Davi Ramos
Rani Yahya x Joe Soto
Michel ‘Trator x Josh Burkman
Rony Jason x Jeremy Kennedy
Garreth McLellan x Paulo Henrique ‘Borrachinha’


Podcast #42 – Brasileiro campeão do WSOF pode pintar no UFC? Ele responde
Comentários Comente

UOL Esporte

Um dos maiores nomes do WSOF, o brasileiro Marlon Moraes virou agente livre e está em busca de um contrato que eleve ainda mais o patamar de sua carreira. No podcast Na Grade do MMA, ele falou sobre a negociação, que tem dado ênfase ao UFC.

Moraes é campeão dos galos no evento, e seu empresário tem pedido uma luta contra Jimmy Rivera, do UFC. O lutador comenta as chances dessa luta e a polêmica sobre os patrocínios e salários de lutadores, que são limitados no Ultimate pelo acordo com a Reebok.

O programa ainda aborda a derrota de Chael Sonnen para Tito Ortiz no Bellator e o UFC deste fim de semana, em que deve ser decidido o futuro das pesos galo da organização, possivelmente mostrando a próxima rival de Amanda Nunes pelo cinturão.

Lembrando que você pode ouvir ou baixar para escutar na hora que quiser o programa pelo iTunesBasta entrar aqui. E não esqueça de assinar o canal, assim você nunca perderá um episódio.

Se você tem um aparelho com Android, pode usar qualquer aplicativo de podcast se inscrevendo com nosso XML: http://www3.uol.com.br/feed/podcast/na-grade-mma.xml


Marlon Moraes estuda opções para o futuro de olho em contrato vantajoso
Comentários Comente

UOL Esporte

MARLONMORAES

Por Rodrigo Garcia

O lutador Marlon Moraes está próximo de definir seu destino. Desde que defendeu o cinturão peso galo do World Series of Fighting pela última vez, em julho de 2016, o atleta viu seu contrato com a organização chegar ao fim, tornando-se um agente livre.

E enquanto aproveita seus últimos dias em Nova Friburgo, onde realizou um evento beneficente para auxiliar instituições de caridade do município no Rio de Janeiro, o atleta participou do podcast #42 do Na Grade do MMA e falou um pouco sobre seu futuro.

No WSOF, Marlon Moraes engatou uma sequência de 11 vitórias, sendo quatro delas em disputa de cinturão. Com isso, o atleta passou a ser monitorado por outras organizações. Agora, Moraes espera fechar o melhor contrato possível, já que a carreira de atleta é curta.

“Não tenho contrato com nenhum evento, mas estou com a expectativa boa de fechar alguma coisa bacana em breve. O principal objetivo é conseguir o melhor contrato possível, já que carreira de lutador não é muito longa. Estamos trabalhando com todas as hipóteses. A gente trabalha e quer ser bem pago pelo trabalho”, explicou o lutador.

A entrevista completa com o lutador, que também falou sobre a divisão dos galos no UFC e sobre a vontade de enfrentar o promissor lutador Jimmie Rivera, estará disponível na edição 42 do podcast Na Grade do MMA, que vai ao ar nesta quinta-feira (26).


Jacaré assume risco e ataca Bisping “galinha” e Rockhold “amarelão”
Comentários 5

UOL Esporte

Ronaldo Jacaré ainda espera por disputa de cinturão | Reprodução/Instagram

Ronaldo Jacaré ainda espera por disputa de cinturão | Reprodução/Instagram

Anunciado como rival de Tim Boetsch no UFC 208, Ronaldo Jacaré segue sem entender a postura de Michael Bisping como atual campeão dos pesos-médios (até 84 kg). Em entrevista ao podcast do blog, o lutador brasileiro voltou a criticar a postura do inglês com o cinturão e contou os motivos que o fizeram assumir o risco para aceitar o combate contra o adversário conhecido pelas mãos pesadas.

“Ele (Bisping) corre de uma real luta, de uma real defesa de cinturão. Está atirando para todos os lados para não pegar um (lutador) top da divisão dos médios. Todo mundo sabe que ele não quer uma luta real da categoria. Ele está chocando o cinturão, igual uma galinha. Senta em cima do cinturão para ver se choca, não quer lutar”, atacou Jacaré.

A declaração é uma crítica ao comportamento recente de Bisping, que, após conquistar o título contra Luke Rockhold, defendeu o cinturão apenas contra Dan Henderson, lutador que estava quase aposentado antes de ganhar a oportunidade. Recentemente, o inglês cogitou uma possível superluta contra Tyron Woodley, atual campeão dos meio-médios (até 77 kg).

Jacaré estará no UFC 208

Jacaré estará no UFC 208

Sem lutar desde maio do ano passado, e agora atrás de Yoel Romero pela disputa do título, Jacaré optou por assumir o risco e voltar ao octógono contra Tim Boetsch, apenas o 13º colocado do ranking dos médios, em luta a ser realizada no próximo dia 11, em Brooklyn, Nova York (EUA).

“Encaro essa luta com bons olhos, é uma forma de não ficar parado. Todos os atletas que ficaram parados durante um espaço de tempo longo não voltaram bem. Principalmente os que esperaram por uma oportunidade de disputar o cinturão”, analisou. “Sei que é um risco que estou correndo, mas é normal. Estou aqui para me arriscar e me manter na atividade”.

Mesmo muito abaixo de Jacaré no ranking dos médios (o brasileiro é o terceiro), Tim Boetsch era um dos únicos disponíveis para enfrentá-lo. Agora você me pergunta, mas e Gegard Mousasi, Chris Weidman, Luke Rockhold e até mesmo Michael Bisping? Jacaré explica.

“Não tem outro cara bem ranqueado para eu lutar. A luta seria com o Mousasi, mas não teria sentido, já que ganhei dele não faz muito tempo. Se nos colocassem para lutar de novo, não seria interessante para ninguém. Os outros adversário estão machucados. O Robert Whittaker, o Rockhold que está amarelando, já que está treinando (e alega lesão), o Weidman que sofreu um revés e talvez não volte tão cedo. A categoria está muito complicada”, finalizou.


Podcast #41 – Jacaré chama Bisping de ‘galinha’ e o futuro de Anderson
Comentários Comente

UOL Esporte

Ronaldo Jacaré tem luta nova marcada para fevereiro, contra Tim Boetsch, e falou ao podcast Na Grade do MMA sobre sua decisão de se manter ativo, além de dar uma cutucada forte em Michael Bisping, atual campeão de sua categoria, os médios.

O lutador oriundo do jiu-jítsu  disse que Bisping está apenas “chocando seu cinturão, igual uma galinha” e deixou claro o motivo de decidir não ficar parado, esperando uma chance pelo cinturão, e assumir os riscos diante do nocauteador Boetsch. O programa ainda fala da volta vexatória de BJ Penn e o que esperar de Anderson Silva contra Derek Bruson, que estarão no mesmo card de Jacaré.

Lembrando que você pode ouvir ou baixar para escutar na hora que quiser o programa pelo iTunesBasta entrar aqui. E não esqueça de assinar o canal, assim você nunca perderá um episódio.

Se você tem um aparelho com Android, pode usar qualquer aplicativo de podcast se inscrevendo com nosso XML: http://www3.uol.com.br/feed/podcast/