Blog Na Grade do MMA

Arquivo : alistair overeem

A volta do mini Overeem
Comentários Comente

Jorge Corrêa

ove

Esqueça o gigante Alistair Overeem. Aquele monstro que derrubou Brock Lesnar, mas caiu feio contra Antonio Pezão não existe mais. Pelo menos é isso que podemos ver nas imagens mais recentes do holandês durante seus treinamentos em Albuquerque com seus companheiros da equipe da Jackson’s MMA.

Ele assombrou os fãs do esporte ao aparecer nesta semana, em fotos publicadas por Donald Cerone, com uma silhueta muito mais esguia, lembrando seu começo de carreira no Pride, quando lutava nos pesos médios, categoria que no extinto torneio japonês era entre 83kg e 93kg.

E não é só impressão de que ele está menor. O próprio admitiu que tirou muito peso. Em sua última luta, quando venceu Frank Mir, ele bateu 257 libras (116 kg). Agora, ele admitiu que está com 210 libras (95 kg). Ou seja, ele está muito perto de conseguir lutar como meio-pesado no UFC (até 93kg).

Com um longo histórico de desconfiança de doping depois de ter deixado de ser um magrelo para se tornar um gigante de 120 kg, além de um flagrante em um exame antidoping surpresa, não dá para não pensar que ele mudou algo em sua preparação, ainda mais agora com o UFC apertando o cerco sobre quem usa substâncias proibidas. Daqui uma semana ele enfrenta o norte-americano Ben Rothwell entre os pesos pesados. Com certeza teremos um dos menores lutadores da categoria dentro do octógono. Veja o antes e depois de Overeem no Pride e já no UFC.

 

 

 

 



Junior Cigano x Alistair Overeem
Comentários Comente

Jorge Corrêa

Cigano e Overeem na época em que eles se enfrentariam em 2012

Cigano e Overeem na época em que eles se enfrentariam em 2012

Não tive muito tempo de falar sobre o reencontro de Alistair Overeem com as vitórias, mas chegou o momento. Ao que tudo indica, finalmente seu caminho vai cruzar com o do brasileiro Junior Cigano, o que deveria ter acontecido quase dois anos atrás.

Não há nada oficial, apenas intenções, mas dificilmente essa luta não acontecerá. Eles têm muitas provocações engasgadas para serem resolvidas nos últimos anos.

Assim que foi confirmada a vitória de Overeem em seu massacre sobre Frank Mir, no UFC 169 no último sábado, ele pediu para enfrentar Brock Lesnar (oi?), mas o ex-campeão não vai voltar para o UFC, garantiu Dana White.

De volta ao mundo real, Alistair foi questionado sobre a chance de enfrentar Junior Cigano e ele pareceu gostar da ideia. “Não tenho nada pessoal com ele, ainda tenho de parar e pensar no meu próximo passo, mas seria uma boa luta”, respondeu.

Dana White retrucou, curto e grosso: “Também gosto dessa luta.”

  • 20651
  • true
  • http://esporte.uol.com.br/enquetes/2014/02/03/quem-venceria-esse-duelo-de-pesos-pesados.js

Cigano participou da transmissão do UFC 169 na TV Globo e também não escondeu sua vontade de enfrentar Overeem, já que está sem luta marcada nesse momento. Provocado pelo narrado Cleber Machado, o ex-campeão dos pesados entregou que torceria por uma vitória de Alistair para que pudessem se enfrentar em seguida.

Era para os dois terem se enfrentado na disputa do cinturão dos pesados em maio de 2012, quando Cigano ainda era campeão. Porém, Overeem foi pego em um antidoping surpresa e teve de dar lugar a Frank Mir na luta. Desde então, eles têm essa história inacabada.

Vamos lá, Dana White, é só confirmar esse confronto. E te dou uma dica: seria uma ótima luta principal para qualquer evento no Brasil.

Júnior Cigano

Júnior Cigano

[tagalbum id="21218"]


Fim da linha dos ex-fenômenos Overeem e Uriah Hall no UFC
Comentários Comente

Jorge Corrêa

Alistair Overeem e Uriah Hall

Além de marcar a estreia de uma nova linha de evento do UFC, o card de Boston, no último sábado, também serviu de divisor de águas para grandes nomes do evento, como já foi dito aqui no blog do próprio Maurício Shogun. Mas Alistair Overeem e Uriah Hall ficaram em situação muito mais complicada.

Os dois já foram considerados fenômenos dentro do Ultimate, cada um de sua maneira, mas no último fim de semana, perderam pela segunda vez consecutiva e com atuações discutíveis. Agora, estão com seus empregos em risco no meio evento de MMA do mundo.

Com títulos no K-1 e no Strikeforce no currículo, Overeem chegou ao UFC com uma disputa de cinturão no caminho, bastava apenas vencer Brock Lesnar para ter sua chance. Nocauteou o ex-campeão de forma avassaladora, mas acabou caindo no antidoping antes de enfrentar Junior Cigano.

Tendo ganhado quase 30 quilos de massa muscular em menos de dez anos, o gigante não foi mais o mesmo depois do doping. Nitidamente menos musculoso, sofreu com o gás e acabou nocauteado por Antonio Pezão e Travis Browne, no terceiro e primeiro round, respectivamente.

Já Uriah Hall brilhou no TUF 17, quando ganhou o apelido de Homem-Ambulância por mandar três rivais para o hospital, quando, digamos assim, não valia nada. Já no UFC, acabou derrotado na final por Kelvin Gastelum e no sábado para John Howard, em ambas as vezes com atuações pífias.

O mesmo Dana White que encheu a boca para propagandear Hall e chegou a dizer que ele poderia ser o próximo Anderson Silva, agora, percebe que pode ter se enganado, e feio. “Ele é um dos seres humanos mais incríveis que conheço, mas ele não é lutador. Ele tem todos os atributos físicos para ser um grande atleta, mas Uriah não tem mentalidade para estar aqui.”

Em ambos os casos, o presidente do Ultimate preferiu não dar um veredito final sobre o futuro dos dois, mas não foi nada otimista. Dana White apenas ponderou com um “vamos ver”, mas acho difícil vermos novamente algum dos dois novamente no octógono, pelo menos não em breve. Uma volta em outro evento pode oxigenar a carreira dele antes de uma possível volta ao UFC.


Dana White descarta Mark Hunt e prevê Cigano x Overeem em UFC no segundo semestre
Comentários Comente

Jorge Corrêa

Overeem nocauteado por Pezão em fevereiro

Uma das lutas mais esperadas nos últimos tempos mais uma vez foi adiada. Segundo o site MMA Fighting, Alistair Overeem sofreu uma lesão e não poderá enfrentar seu desafeto declarado Junior Cigano no UFC 160, marcado para 25 de maio. Esse problema pegou todo mundo de surpresa, até mesmo Dana White.

>> Facebook: FB.com/NaGradedoMMA
>> Notícias sobre lutas no UOL Esporte
>> Blog no Twitter: @NaGradedoMMA

Assim que a notícia foi divulgada, já começou uma campanha nas redes sociais (#Rally4Hunt) para que o veterano Mark Hunt substituísse o holandês no combate contra o brasileiro. O próprio se adiantou e disse que aceitaria o combate se fosse chamado. Mas o presidente do UFC não gostou da ideia.

Em uma resposta rápida a um fã no Twitter, Dana White indicou que não vai colocar Mark Hunt para enfrentar Junior Cigano e vai esperar Alistair Overeem se recuperar para que ele enfrente o brasileiro no início do segundo semestre.

Fã: “Dana White, por favor, por favor, coloque o Mark Hunt contra o Junior Cigano no UFC 160 #Rally4Hunt”. Dana White: “Isso não me parece bom. Cigano x Overeem no verão [dos EUA, inverno no Brasil].”


Pitacos do blogueiro: Soa muito estranha essa lesão de Overeem nesse momento. Depois de cumprir uma suspensão por doping, ele lutou com níveis de testosterona “perigosamente baixos” na derrota para Antonio Pezão no começo de fevereiro.

Os médicos consultados pelo blog disseram que esse baixo nível do hormônio é um dos principais efeitos colaterais de quem fez uso de esteroides – enorme suspeita que paira sobre a carreira do holandês após ele ganhar mais de 20 kg em 10 anos.

Bom. Ele poderia pedir autorização para usar a polêmica Terapia de Reposição de Testosterona (TRT) para que os níveis do hormônio voltem ao normal. No entanto, a Comissão Atlética do Estado de Nevada – onde a luta ocorreia– já avisou: nunca vai liberar o TRT para lutadores que tem histórico de doping, como é seu caso.

Alistair ainda não veio a público explicar sua lesão, mas minha aposta é que essa luta não acontecerá em Las Vegas, mas sim em um lugar mais complacente com o uso de TRT. Onde, por exemplo? Brasil. Quem sabe essa luta não será no Rio de Janeiro, no UFC 163, no começo de agosto.

Júnior Cigano

Júnior Cigano

[tagalbum id="21218"]


Overeem antes e depois do doping e Edgar antes e depois de descer aos penas
Comentários Comente

Jorge Corrêa

Direto de Las Vegas

Vou falar agora de peso e tamanho neste peso. Dois importantes personagens do UFC 156 tem muito a ver com esses temas e as imagens pesagem da última sexta-feira vão nos ajudar contas essas histórias.

>> Facebook: FB.com/NaGradedoMMA
>> Notícias sobre lutas no UOL Esporte
>> Blog no Twitter: @NaGradedoMMA

O primeiro é o peso pesado Alistair Overeem. A última vez que ele lutou foi em dezembro de 2011, quando venceu Brock Lesnar. Depois disso, ele foi pego no antidoping por conta de alto nível de testosterona e ficou mais de um ano sem lutar. Volta agora, neste sábado, contra Antonio Pezão.

As imagens abaixo mostram o antes e depois de o holandês ter sido pego no doping. Seu peso continuou praticamente o mesmo – 263 libras no UFC 141 para 264 libras no UFC 156 – mas dá para perceber que seus músculos estão menos definidos neste fim de semana.

Agora o alvo da nossa análise é Frankie Edgar. Neste sábado, contra José Aldo, ele fará sua estreia entre os pesos pena (até 66 kg) depois de ter lutado toda sua carreira entre os leves (até 70 kg). Não dá para notar tanta diferença de tamanho, a mudança de categoria parece não tê-lo afetado tanto – mostrando que ele poderia estar no peso debaixo há mais tempo.

A primeira foto é do UFC 150, em agosto passado, quando fez sua última luta entre os leves e perdeu para Benson Henderson. A outra é desta sexta-feira – ele ganhou uma tatuagem nova em cada um dos braços.


Overeem e Pezão esquentam UFC 156 e brasileiro diz que ser azarão o motiva ainda mais
Comentários Comente

Jorge Corrêa

Direto de Las Vegas

Se as duas últimas lutas da noite contam com lutadores calmos e se respeitando, Alistair Overeem e Antonio Pezão resolveram esquentar o clima para o UFC 156, show deste sábado. Os pesos pesados fugiram do padrão de José Aldo, Frankie Edgar, Rogério Minotouro e Rashad Evans e se provocaram muito durante o encontro de imprensa do evento.

>> Facebook: FB.com/NaGradedoMMA
>> Notícias sobre lutas no UOL Esporte
>> Blog no Twitter: @NaGradedoMMA

Alistair Overeem e Antonio Pezão

Quem começou foi o gigante holandês. Desde o começo ele está com um discurso de menosprezar o brasileiro. Para ele, é apenas mais um rival no caminho do cinturão da categoria no UFC. “Não vi sua última luta e nem outras. Não preciso assistir aos vídeos, pois não haverá nenhum perigo. Ele não me oferece risco em nenhuma parte da luta e vou mostrar isso no sábado.”

Pezão então começou a sair do sério com tudo isso que seu rival estava falando. Com seu jeito “Paraíba”, como ele mesmo fala, a tranquilidade virou raiva. “Olha, não quero saber do que ele está falando, quero apenas entrar lá e quebrar a cara dele. Ele não sabe com quem está mexendo.”

Toda essa tensão veio à tona com o primeiro encontro entre os dois, na encarada do dia de imprensa. Foi o tete-a-tete mais quente desse evento. Depois de quase se estranharem, Pezão falou: “Vou fazer você me respeitar”. A resposta de Overeem: “Vou acabar com você.”

Mais que se irritar com o holandês, o brasileiro tem uma motivação a mais: ser apontado como azarão para esse combate. “Isso me dá ainda mais vontade de lutar e fazer esse pessoal perder um dinheiro. (Risos) Tenho muita gente me apoiando, o pessoal na Paraíba, minha família. É neles que eu penso. E sempre que entrei como favorito, não consegui ir bem. Adoro que seja assim.”

Overeem a uma vitória do title shot - Depois de ciscar por um tempo, Dana White confirmou que se Alistair vencer Pezão, ele será o próximo desafiante pelo cinturão dos pesados, atualmente com Cain Velasquez. Algo que era esperado, mas ainda se sondava a possibilidade de o holandês enfrentar Junior Cigano, seu desafeto declarado.

“O Cain Velásquez está com o meu cinturão, ele é meu e fica bem mais bonito em mim. Minha prioridade é lutar pelo título, mas eu também aceitaria lutar contra o Junior”, disse Overeem.


Sob a sombra do doping, Overeem define futuro do cinturão dos pesados no UFC 156
Comentários Comente

Jorge Corrêa

Gigante holandês de mais de 120kg, Alistair Overeem é uma das figuras mais controversas dos pesos pesados do UFC nos últimos anos e está de volta. Depois de cumprir suspensão de nove meses por doping, ele vai enfrentar o brasileiro Antonio Pezão no card principal do UFC 156, neste sábado, em Las Vegas. E essa luta define os rumos de toda a categoria.

>> Facebook: FB.com/NaGradedoMMA
>> Notícias sobre lutas no UOL Esporte
>> Blog no Twitter: @NaGradedoMMA

Esse retorno de Overeem ao octógono tem dois importantes pontos. O primeiro é no que diz respeito ao futuro do título dos pesados. Era para o holandês ter disputado o cinturão em maio passado, contra Junior Cigano, mas foi pego em um exame antidoping surpresa. Quando seu gancho estava perto do fim, chegou a ser especulado que ele teria uma disputa de título logo de cara, mas Dana White achou melhor ele pagar esse “pedágio”.

A situação agora é mais ou menos simples. Dana White deixou no ar que se Alistair vencer Pezão, muito provavelmente será o próximo desafiante pelo cinturão dos pesados, atualmente nas mãos de Cain Velasquez. O presidente só não oficializou isso, porque ele não descarta colocar o holandês para enfrentar Junior Cigano, seu desafeto declarado.

Já se Pezão vencer, fica tudo embolado. Como o brasileiro já perdeu, e de forma muito dura, para o campeão Velasquez, Dana negou a chance de ele ter um title shot nesse momento. Assim, se Antonio vencer, deve deixar o caminho livre para Cigano fazer uma revanche direta contra Cain, depois de ter perdido o título em dezembro passado.

Agora, o segundo ponto importante sobre Alistair Overeem é a sombra que ele terá em relação ao doping. Além de ter sido flagrado no exame com um alto nível de testosterona em março do ano passado, sempre houve uma dúvida sobre seu crescimento muscular nos últimos anos. Do magrelinho dos tempos de Pride, onde pesava cerva de 90 kg, ele se tornou um gigante de mais de 120 kg que assombrou o K-1 e foi campeão do Strikeforce.

Ele fez testes mensais e voluntários nos últimos meses para provar que estava limpo e que poderia reaver sua licença para lutar. No entanto, nunca entrou em muitos detalhes sobre os motivos pelos quais foi pego no antidoping. Prefere dar respostas evasivas sobre o assunto, fala que não quer comentar o passado. Mas a dúvida sempre ficará. Agora, ele precisa provar que seu potencial vem de treinamentos, não de um laboratório.


Overeem recupera licença para lutar em Vegas após doping e confirma luta com Pezão no UFC 156
Comentários Comente

Jorge Corrêa

Mais de um ano depois de seu último combate, o holandês Alistair Overeem já pode voltar a lutar no UFC. Foi aprovado nesta terça-feira, pela Comissão Atlética do Estado de Nevada, o pedido para reaver sua licença para lutar em Las Vegas depois de ele sido flagrado em um exame antidoping em março do ano passado por uso de anabolizantes.

>> Facebook: FB.com/NaGradedoMMA
>> Notícias sobre lutas no UOL Esporte
>> Blog no Twitter: @NaGradedoMMA

A última luta de Alistair Overeem (dir.) – sua estreia no UFC – foi em dezembro de 2011, quando nocauteou e aposentou Brock Lesnar

Com o julgamento a favor do holandês, sua luta contra o peso pesado brasileiro Antonio Pezão, no UFC 156, em 2 de fevereiro, está confirmada para a cidade de Las Vegas. O Ultimate já tinha pedido autorização para a Comissão para divulgar o combate, mas ele dependia dessa liberação para a oficialização.

O experiente repórter John Morgan, do site norte-americano MMA Junkie, fez um acompanhamento lance a lance do julgamento em sua conta no Twitter. Ele relatou a defesa do holandês, que foi feita pelo próprio. Overeem mandou para a comissão, de forma espontânea, seis testes antidoping entre junho e novembro e depois foi testado novamente em 16 de novembro e 21 de dezembro. Todos deram negativo.

“Eu treinei durante todo esse tempo, por isso estou parecendo maior do que antes. Tenho um novo nutricionista e uma melhor equipe médica para garantir ficar limpo todo esse tempo”, explicou o lutador, antes de sua licença ser aprovada por unanimidade pela comissão.

Alistair Overeem foi pego em um exame antodoping surpresa antes de ele enfrentar Junior Cigano, luta que aconteceria em maio passado. Com isso, ele pegou nove meses de gancho. Com isso, ele ficou sem a disputa direta do cinturão dos pesados – atualmente com Cain Velasquez – e terá de vencer Pezão para ter uma nova chance.


UFC 155 e Dana definem rumos do título dos pesados – Veja caminho de Cigano, Velasquez, Werdum, Overeem e Pezão para 2013
Comentários Comente

Jorge Corrêa

Direto de Las Vegas

A semana que marcou a despedida do UFC do ano de 2012 e que culminará com a edição 155, neste sábado, também definiu o que deve acontecer com os principais nomes dos pesos pesados do torneio. Dana White deixou alguns casos claros e outros nas entrelinhas durante essa semana. O blog então vai explicar um a um os casos envolvidos nesse processo.

>> Cigano revê Valasquez por acerto de contas e legado entre os pesados
>> Musa do jiu-jítsu, Kyra Gracie será comentarista do UFC 155 no Sportv
>> Esposa “estreante” de Cigano rouba a cena em pesagem do UFC 155

Junior Cigano - É o campeão e melhor lutador da categoria na atualidade. Se mantiver o cinturão neste sábado, na luta contra Cain Velasquez, deve finalmente enfrentar seu desafeto declarado Alistair Overeem, caso o holandês vença o brasileiro Antonio Pezão no UFC 156, em fevereiro. Ainda este ano, pode ter pela frente o gaúcho Fabrício Werdum.

Cain Velasquez - Para o norte-americano de ascendência mexicana, é vencer ou vencer no UFC 155. Uma nova derrota para Cigano em pouco mais de um ano o coloca muito para trás na fila pelo cinturão. Mais que isso, ele só poderia pensar em título novamente quando ele deixasse as mãos brasileiro. Se voltar a ser campeão, também pode encarar Overeem.

Fabrício Werdum - Ganhou uma grande chance ao saber que, se vencer Rodrigo Minotauro em junho, vai poder disputar o cinturão da categoria. Com o resultado positivo, essa luta pelo título deve acontecer mais para o final do ano. Ele quer a revanche contra Cigano, mas pode ser Velasquez ou Overeem, de acordo com a conjuntura que expliquei acima.

Alistair Overeem - Recebeu essa semana a permissão para lutar novamente depois de ser flagrado em um antidoping antes de enfrentar Cigano em maio. Está jurado pelo brasileiro. Chegou a ser dito que ele poderia ganhar o title shot direto, mas agora precisa passar por Antonio Pezão. Mas uma vitória já o coloca na luta pelo cinturão. Caminho simples (mas não fácil) para ele.

Antonio Pezão - De todos esses, é quem está mais atrás na fila, mas Dana White deixou no ar a possibilidade de ele furar fila e ficar com a disputa de cinturão se vencer Overeem. No entanto, para isso acontecer, Cigano precisa vencer neste sábado, pois Pezão perdeu feio para Velasquez em maio. Não teria sentido ele enfrentar o norte-americano de novo depois disso.

Stefan Struve - Merece uma menção honrosa nesse post, pois está com uma série invicta de quatro lutas. Não é para qualquer uma sequência como essa. Ele enfrenta Mark Hunt no UFC Japão em março. Uma quinta vitória consecutiva o deixa muito bem na categoria e quem sabe, com uma ou outra lesão, pode aparecer de surpresa em uma disputa de título dos pesados.

ENQUETE - Vote nos seus favoritos para o UFC 155: Cigano ou Cain?
>> Blog no Facebook: FB.com/NaGradedoMMA
>> Todas as notícias sobre lutas no UOL Esporte
>> Siga o blog no Twitter: @NaGradedoMMA

UFC 155

UFC 155

[tagalbum id="64131"]


Cigano comemora “pedágio” de Overeem após gancho por doping, mas prevê vitória de Pezão
Comentários Comente

Jorge Corrêa

Junior Cigano está em fase final de preparação para a sua segunda defesa de cinturão dos pesados do UFC, contra Cain Velasquez na edição 155, em 29 de dezembro, mas já está pensando mais à frente, em quem pode enfrentar caso vença novamente o norte-americano.

>> Blog no Facebook: FB.com/NaGradedoMMA
>> Todas as notícias sobre lutas no UOL Esporte
>> Siga o blog no Twitter: @NaGradedoMMA

Em agosto, Dana White disse que o próximo lutador a disputar o cinturão da categoria seria o holandês Alistair Overeem, mesmo com ele vindo de uma suspensão de nove meses por doping. Ele foi flagrado em um teste surpresa com esteroides antes de enfrentar exatamente Junior Cigano, luta que aconteceria em junho, no UFC 146.

Essa decisão do presidente do UFC irritou os principais nomes da categoria. Eles foram unânimes nas críticas, o que deve ter feito Dana mudar de ideia. No começo desse mês, foi anunciado que Overeem vai enfrentar o brasileiro Antonio Pezão no UFC 156, em 2 de fevereiro e, apenas se ele vencer essa luta, voltará a ser discutido se ele disputará o título da categoria em um futuro próximo.

Um dos que mais vibraram com essa mudança foi o campeão Junior Cigano. Ele explicou ao blog que essa foi uma decisão acertada. Mas mais que isso, Pezão – que assim como ele, é pupilo de Rodrigo Minotauro – vai acabar com qualquer polêmica sobre o assunto.

“Essa será realmente uma boa luta. O Pezão é um cara duríssimo, um bom lutador. Acho que ele tem grandes chances. Mas o problema era realmente isso, o Dana White ter falado que colocaria o Overeem para enfrentar quem ganhasse da minha luta com o Cain, e com certeza será eu (risos). Claro que eu sou o campeão e estou pronto para enfrentá-lo se precisar, mas eu não concordo com isso. Acho que ele tinha mesmo de fazer uma luta antes. Se ele vencer esse combate, aí sim ele está pronto para disputar o cinturão, mas ele vai parar no Pezão. Tenho certeza disso.”

Esse é apenas um aperitivo de uma longa entrevista que o blog fez com Junior Cigano. Ele bateu um belo papo entre um treino e outro, após o almoço, antes de tirar seu cochilo dos justos. Nas próximas semanas, vamos publicar um material bem bacana para aquecer sua luta contra Cain Velasquez no UFC 156 no dia 29 de dezembro.

Júnior Cigano

Júnior Cigano

[tagalbum id="21218"]