Topo
Na Grade do MMA

Na Grade do MMA

Título inédito pode transformar Dos Anjos no mais completo do Brasil no MMA

UOL Esporte

09/06/2018 04h00

Bruce Fedyck-USA TODAY Sports

Perseverança, dedicação e superação. Cada lutador possui sua própria história e muitos a escrevem apenas com vitórias. Já Rafael Dos Anjos teve de ser derrotado nove vezes na carreira antes de chegar às 28 vitórias que o colocam próximo de construir um dos capítulos mais importantes da história do MMA brasileiro neste sábado (9).

Caso vença Colby Covington no evento co-principal do UFC 225, em Chicago, Rafael dos Anjos não apenas será o primeiro brasileiro a conquistar um cinturão, mesmo que interino, dos meio-médios, como também vai ser o único lutador do país sul-americano a ser campeão de duas categorias diferentes do UFC desde que a organização separou seus atletas por pesos.

Campeão dos pesos leves entre março de 2015 e julho de 2016, Rafael pode ser o quinto lutador do UFC a alcançar o feito. Além de BJ Penn, que também conquistou os títulos dos leves e dos meio-médios, Conor McGregor (penas e leves), Georges St-Pierre (meio-médios e médios) e Randy Couture (meio-pesados e pesados) também já levaram dois cinturões de categorias diferentes da organização.

Vitor Belfort foi o lutador que chegou mais próximo de entrar na história do UFC com dois cinturões. O ex-campeão dos meio-pesados em 2004 até ganhou um torneio dos pesados no UFC 12, em 1997, mas a vitória sobre Scott Ferrozzo não deu ao 'Fenômeno' o cinturão da categoria, que foi disputado na mesma noite e vencido por Mark Coleman sobre Dan Severn.

Belfort quase conseguiu dois cinturões da categoria, mas os nocautes sofridos contra Anderson Silva e Chris Weidman o impediram de conquistar o título dos médios. Ex-campeão dos meio-pesados, Lyoto Machida também tentou, mas sua derrota também para Weidman deixou o Brasil mais uma vez no quase.

Se Belfort e Machida pecaram pelas brechas apresentadas em seus jogos de queda, Rafael é um sinônimo de versatilidade no octógono.

Faixa preta de jiu-jítsu de Roberto "Gordo" Correa, o brasileiro quase foi demitido do UFC em duas ocasiões. Apesar do jogo afiado na arte suave, tido como um dos melhores da categoria à época, RDA sofreu diversas derrotas para adversários com um jogo mais versátil e de pressão, como Clay Guida, Jeremy Stephens e Khabib Nurmagomedov.

Perseverante, o brasileiro foi atrás de Rafael Cordeiro, que desenvolveu o seu muay thai na Kings MMA. O aperfeiçoamento na trocação fez com que Dos Anjos nocauteasse Donald Cerrone, Benson Henderson e vencesse Nate Diaz e Anthony Pettis por decisão de forma dominante. E foi justamente contra 'Showtime' que o brasileiro chegou ao título dos leves.

Depois de defender o cinturão contra Cerrone, o lutador deixou a categoria em 2016, após perder o título para Eddie Alvarez, ser derrotado por Tony Ferguson, e sofrer problemas físico durante o processo de corte de peso.

Em 2017, o brasileiro mudou de categoria e chegou à disputa do título após três vitórias dominantes. Após bater em Tarek Saffiedine e finalizar Neil Magny, o lutador se colocou como um dos postulantes ao título de vez ao derrotar o ex-campeão Robbie Lawler de maneira dominante.

Ágil, resistente, trocador e finalizador, Rafael dos Anjos é inegavelmente um dos lutadores mais completos do UFC. Questionado sobre sua versatilidade nos octógonos, o brasileiro vê outro campeão de duas categorias como o lutador mais completo do MMA.

"Não, não me consigo ver assim (como o mais versátil). Tem muitos lutadores bons. Eu faço meu trabalho, tento sempre fazer o mais difícil. Por isso eu vou melhorando. Acho que o Georges St-Pierre é o mais completo de todos", disse em entrevista ao UOL Esporte.

Poucos atletas construíram uma história de tanta superação e versatilidade como Dos Anjos. Além de conquistar um inédito segundo cinturão, Rafael certamente se colocará como o lutador mais completo da história do MMA brasileiro caso seja campeão interino dos meio-médios.

Ao todo, Rafael nocauteou em cinco ocasiões, finalizou em nove e ganhou 14 duelos por decisão. Enquanto Anderson Silva, Vitor Belfort, Junior dos Santos, José Aldo e Lyoto Machida conquistaram seus cinturões mostrando um excelente nível de trocação, Fabricio Werdum, Royce Gracie e Rodrigo Minotauro chegaram ao topo de suas categorias mostrando o melhor do jiu-jítsu desenvolvido no Brasil. Entretanto, nenhum deles mostrou a mesma versatilidade de Dos Anjos nos octógonos do UFC.

Vanderson Pimentel
Do UOL, em São Paulo

Sobre o blog

Saiba o que acontece dentro e fora do octógono, relembre as grandes histórias e lutas que fizeram o vale-tudo se tornar o MMA. Aqui também será o espaço para entrevistas, análises, debates, polêmicas e tudo que faz do MMA o esporte que mais cresce no mundo.
Contato: nagradedomma@gmail.com