Blog Na Grade do MMA

Charles do Bronx ralou muito para chegar ao UFC, brilhou como fenômeno, mas está em risco

Jorge Corrêa

Conheci Charles do Bronx em setembro de 2009, em um evento em São Paulo em uma balada. Bem magro, alto demais para sua categoria, já tinha visto outros com o mesmo porte que sofriam contra os mais “fortinhos”. Mas logo me assopraram que ele era bom, para eu ficar de olho na luta, que tinha tudo para ser a melhor da noite. E foi.

>> Siga o blog no Twitter: @NaGradedoMMA
>> Leia todas as notícias de lutas no UOL Esporte

Depois de uma trocação intensa com Alexandre Bezerra, o Popó, conseguiu pegar um improvável e difícil “anakonda choke” (aceito sugestões de tradução) e finalizou a luta.

Charles garantiu seu lugar no UFC depois de um GP de duas lutas na mesma noite em fevereiro de 2010, com duas vitórias impressionantes, uma por nocaute e outra por finalização. Para se ter uma ideia de como o lutador ralou nessa época, ele fez seis combates no espaço de um ano antes de assinar com o Ultimate.

Seu começo no maior evento de MMA do mundo não poderia ter sido melhor. Com apenas 20 anos, conseguiu duas vitórias,  a primeira com uma chave de braço em Darren Elkins em apenas 40s e depois um mata-leão sobre o vencedor do The Ultimate Fighter Efrain Escudero. Tudo isso no espaço de 45 dias. Logo foi alçado a fenômeno do UFC.

“Fico muito feliz com isso, mas preciso seguir focado, mostrando que sou o mesmo moleque de sempre. Com um trabalho bem feito, sei que vou seguir com uma carreira bem sucedida”, me disse Charles logo depois de vencer Escudero.

>> Após ascensão meteórica, Charles do Bronx 'renasce' no UFC em novo peso

Mas então, quando foi colocado de frente com adversários mais duros, acabou se encontrando com a derrota, as primeiras de sua carreira.

Foi finalizado pelo eterno top contender dos leves Jim Miller, teve uma vitória mudada para no-contest após joelhada ilegal em Nik Lentz, e acabou nocauteado pelo antigo astro do WEC Donald Cerrone. Mas mesmo depois de uma série tão ruim, ganhou nova chance no UFC e volta ao octógono neste sábado.

Por um recomeço na carreira, baixou mais uma vez de categoria – começou entre os meio-médios e estava nos leves. Agora, como peso pena, Charles estará no card preliminar do UFC on Fox 2, onde enfrenta o estreante no Ultimate Eric “Little Lee'' Wisely, que tem 19 vitórias e seis derrotas na carreira.

Seu começo fulminante lhe garantiu essa nova oportunidade e o rival pouco conhecido também pode ajudar o brasileiro, mas Charles tem de entrar muito atento para a luta. Com uma sequência tão negativa, dificilmente seguirá no Ultimate em caso de nova derrota. Talento já mostrou que tem, mas agora precisa provar que está focado e que pode renascer entre os penas.