Blog Na Grade do MMA

Sozinho, brasileiro passa apuros em estreia no UFC e quase perde “bolada” de melhor luta

Jorge Corrêa

Primeiro peso mosca brasileiro a lutar pelo UFC, John Lineker passou por momentos difíceis antes de estrear no evento no último sábado, quando perdeu para Louis Gaudinot no UFC on Fox 3. Sem sua equipe, que chegou aos EUA apenas na sexta-feira por conta de um problema com visto, ele contou com grande ajuda de brasileiros para se virar por lá.

>> Siga o blog no Twitter: @NaGradedoMMA
>> Leia todas as notícias de lutas no UOL Esporte

No início desta semana, surgiu em fóruns de MMA a história de que o lutador passou por dificuldades, correu risco de morte tirando peso, que treinou e lutou com equipamento emprestado. Não chegou a ser tão dramática a situação dele, mas também não foi fácil.

Tentei falar com o lutador e seu técnico, mas o telefone de nenhum deles atendeu. Então conversei com o empresário Alex Davis, que estava com seu agenciado Toquinho no evento e quem tomou à frente para ajudar John Lineker durante esses dias sozinhos.

Segue abaixo o relato do agente, que explicou que Lineker teve problemas de comunicação, como “adotou” o lutador, por que ele não conseguiu bater o peso e como ele fez com que John recebesse o prêmio de US$ 65 mil de melhor luta da noite.

Cheguei lá e o pessoal do UFC estava alvoroçado, pois ele não conseguia se comunicar, não conseguia falar nada com ninguém. Então eu peguei o menino e abracei ele, eu, o Murilo Bustamante e o Toquinho.

Ele é muito gente boa, um doce de pessoa, e tenho na minha cabeça que se é brasileiro, eu sempre ajudo qualquer lutador, independente de qualquer coisa. Ele tava lá, todo pequeno que ele é, com aquela cara triste. Tinha que ajudar.

Tinha todo um trâmite, uma documentação para acertar com o UFC, então peguei e fiz tudo com ele. Também levamos ele para treinar com o Toquinho e tudo mais.

Ele não tava mal, não tinha risco de morrer nem nada, mas era a primeira vez que ele lutava naquele peso e eu também não podia ficar o tempo todo com ele, tinha outros compromissos com o Toquinho. Como não tinha acompanhado a preparação dele, não o conhecia direito, não tinha como ajudá-lo muito a perder peso, ele fez tudo sozinho.

Ele foi muito determinado, um guerreiro mesmo. Passou por tudo isso e ainda deu um show lá no octógono. Tem tudo para ser um astro do UFC, o campeão dos moscas.

Achei injusto que ele perdesse o prêmio por não bater o peso. Fui lá no pessoal do UFC, expliquei tudo o que ele passou, que não era culpa dele, e no final deram o cheque.

O pessoal do meu staff também o ajudou com esse pagamento, pois aquele cheque no Brasil não vale nada. Foram lá, abriram uma conta para ele no banco.

Ele estava com medo mesmo de ficar no hotel, de se perder, tanto que ele foi para o aeroporto e dormiu lá, porque o técnico dele só voltaria depois.

Foi uma das histórias mais bizarras que já passei no MMA, mas no final fiquei amigo dele. O cara é extremamente doce e merece brilhar muito ainda.