Blog Na Grade do MMA

Pilhado, Brandão não vê a hora de “dar porrada” no UFC e avisa: todo mundo vai me respeitar

Jorge Corrêa

Direto de Las Vegas

Quem teve a oportunidade de acompanhar a edição de número 14 do reality show The Ultimate Fighter dos Estados Unidos viu um verdadeiro show dado por Diego Brandão. No programa, ele venceu suas três lutas por nocaute e depois finalizou Dennis Bermudez na final para se tornar o primeiro brasileiro a vencer o reality do UFC.

>> Confira a cobertura completa do UFC 146
>> Siga o blog no Twitter: @NaGradedoMMA

>> Leia todas as notícias de lutas no UOL Esporte

Agora, seis meses depois, ele finalmente fará sua estreia em um evento principal do Ultimate. Ele estará na última luta do card preliminar do UFC 146, neste sábado, contra Darren Elkins. E pelo menos no que depender de estar pilhado para esse combate, o brasileiro já está em vantagem.

O blog conversou com o lutador em Las Vegas e ele simplesmente não conseguia ficar parado. Falava muito rápido, mexia muito os braços, ficava segurando na camiseta, pegava e soltava a mochila. Mas então deu para entender os motivos de tanta energia.

Você está preparado para essa luta? A expectativa está grande? Estou 100% treinado, mas mais que isso, com a cabeça muito boa. Estou pronto para entrar lá e encher o cara de porrada. Sei que meu adversário é um cara muito duro, mas eu sou ainda mais duro que ele.

Mas Diego, o que está acontecendo contigo? Não consegue ficar parado… Não aguento mais esperar para lutar. Sério, estou pilhado aqui porque quero entrar logo no octógono e fazer o que eu faço de melhor. Juro que se me falarem para esperar mais dois minutos, eu bato em alguém.

O que você espera dessa nova fase de sua carreira após o TUF? Lá no TUF eu tinha de vencer de qualquer jeito, para poder comprar uma casa para a minha mãe. Por isso eu fui e venci todo mundo. Agora que minha mãe já tem a casinha dela em Manaus, já posso buscar ser campeão do UFC. Agora, todo mundo vai conhecer quem é Diego Brandão e todo mundo vai me respeitar.

Mas juro que estou impressionado com sua pilha, com sua felicidade nesse momento… Cara, agora eu sou a pessoa mais feliz do mundo. Eu faço o que gosto, que é lutar, no evento em que todo mundo quer estar, que é o UFC. O que vier agora é lucro. Juro que se eu morresse hoje, eu morreria feliz. De verdade.

Como é estar na academia de Greg Jackson com caras como Jon Jones? Treinar com o Greg Jackson é a melhor coisa que podia ter acontecido comigo. Só tem cara muito bom lá. Imagine: agora vou enfrentar um rival do meu peso depois de ter treinado com o [campeão dos meio-pesados] Jon Jones. Não tinha como me preparar melhor.

Assista abaixo ao recado de Diego Brandão para os internautas aqui do blog