Blog Na Grade do MMA

Lenda Royce Gracie tenta aliviar, mas critica Jon Jones: “Aprendi que não escolhemos rival”

Jorge Corrêa

Direto de Toronto (Canadá)

Um dos convidados de honra do UFC, a lenda do MMA Royce Gracie chegou a Toronto para acompanhar a edição 152 do evento. Dono da primeira cadeira do Hall da Fama do Ultimate e vencedor de três das quatro primeiras edições, o faixa-preta de jiu-jítsu fez questão de exaltar a chance que Vitor Belfort tem de vencer Jon Jones.

>> Blog no Facebook: FB.com/NaGradedoMMA
>> Leia todas as notícias do UFC 152 no UOL Esporte

>> Siga o blog no Twitter: @NaGradedoMMA

“Nós criamos esse tipo de show para saber quem é o melhor. Tudo pode acontecer. Se ele não tivesse chance, ele não estaria lá. Nenhum dos dois. Um é o campeão. O outro, se fosse uma luta totalmente sem chance, o pessoal não iria colocá-lo lá. Ele tem chance sim. Vitor vai estar lá porque mereceu, ganhou as lutas para isso. Lutou para chegar lá.''

Membro da primeira geração de lutadores do UFC, quando não se tinha regras ou divisão de pesos, Royce até tentou aliviar o fato de o atual campeão dos meio-pesados ter recusado enfrentar Chael Sonnen. Mas depois, o sangue Gracie falou mais alto e foi bem ferino ao criticar Jon Jones.

“O que eu aprendi com meu pai foi que você não escolhe hora, nem dia, nem oponente. Desafiou? Vai fazer na hora, não corre de pau.''

“Também não posso desmerecer tanto o cara. Ele estava se preparando para um lutador, botaram um oponente totalmente diferente, e aí fica difícil. Mas para mim, não se escolhe adversário, tem que estar pronto para todo mundo. Essa é a habilidade que o nosso jiu-jítsu dá. Acho que o cara se preparou demais para uma pessoa só.''

“Na rua você não escolhe adversário, como o Vitor fez. Você não vai chegar para o cara que te desafiou, que mexeu com a tua mulher, e perguntar: 'Quanto você pesa mesmo? Ah, desculpa amor, ele não é da minha categoria' ou “ah, deixa eu encontrar contigo daqui três semanas'. Isso não existe.''

Atualização do post: Achei que não precisaria fazer esse adendo, mas parece que o pessoal não pegou o espírito da coisa. A frase do Royce sobre brigar na rua é uma metáfora, ele não quis dizer isso literalmente. Claro que é não quer sair socando os outros pelas ruas do mundo. Pelamor, né galera?