Blog Na Grade do MMA

Royce Gracie diz estar aposentado e nega frustração por não ter luta de despedida no UFC

Jorge Corrêa


Uma das maiores lendas do vale-tudo e das origens do MMA, Royce Gracie decretou: está aposentado. Vencedor de três das quatro primeiras edições do UFC, quando se valia tudo, não tinha divisão de peso ou tempo das lutas, o faixa-preta disse que “chega de lutar''.

>> Blog no Facebook: FB.com/NaGradedoMMA
>> Todas as notícias sobre lutas no UOL Esporte

>> Siga o blog no Twitter: @NaGradedoMMA

Royce nunca fez um anuncio oficial de aposentadoria e até meses atrás ainda falava em fazer uma luta de despedida do UFC contra Matt Hughes – o único que o venceu no Ultimate e que, inclusive, anunciou essa semana que parou de lutar. Chegou a fazer uma forte campanha para estar no primeiro UFC Rio em agosto do ano passado. Depois, quando não rolou essa luta, deixou o assunto esfriar, pouco se falou. Até foi apresentado como ex-lutador.

Royce em sua luta contra Matt Hughes no UFC 60

Pois bem. Depois de passada a loucura do UFC Rio 3 e de pesquisar muito, procurar reportagens sobre o assunto, tirei da gaveta uma entrevista que fiz com Royce , 45 anos, cerca de um mês em que ele é muito enfático ao dizer que parou. Não quero tratar como anúncio, pois a naturalidade com que ele falou demostra o que apenas não tinha sido explicitado: ele já parou há muito tempo.

“Chega de lutar. Estou aposentado. Agora estou só viajando seis meses por ano e ensinando.''

Mais que isso, ele negou qualquer tipo de frustração por não ter feito uma última luta pelo UFC. Para ele, seu combate de despedida foi sua vitória sobre “exterminador de Gracies'' Kazushi Sakuraba em junho de 2007, em luta que aconteceu em Los Angeles.

“Já fiz minha luta de despedida, foi minha última luta. Estou tranquilo. Não precisava de outra, já lutei durante muitos anos. Chega, tem a hora que você precisa saber parar. “

Curtindo apenas a vida como pai e professor de jiu-jítsu ao redor do mundo, Royce Gracie aponta quem serão os próximos herdeiros da família a fazer sucesso no mundo das lutas.

“Tem uma galera vindo aí. Tem o Roger, tem o Kron, tem a garotada que lutou agora nas Filipinas, o Roller, o Igor e o Gregor. Meus filhos estão treinando, mas são novos ainda. Mas a família vai ficar por aí por muito tempo ainda.''