Na Grade do MMA

Belfort enfrentou Jones após UFC encobrir exames alterados, diz site

Maurício Dehò

22/09/2015 00h56

Relembre como foi a preparação de Vitor para pegar Weidman

Veja Álbum de fotos

Há exatos três anos, Vitor Belfort lutou pelo cinturão dos meio-pesados do UFC contra Jon Jones e, apesar de quase finalizar o campeão, foi derrotado no UFC 152. Desde então, o brasileiro enfrentou diversas polêmicas envolvendo o tema doping. Agora, este combate volta à tona com a notícia de que o carioca teria mostrado níveis elevados de testosterona semanas antes de entrar no octógono.

Belfort contra Jones no UFC 152. Brasileiro quase finalizou o campeão

A informação é do site Deadspin, que em uma reportagem especial mostra o exame em questão, além de revelar que o UFC teria compartilhado esse resultado, sem querer, com lutadores e técnicos, e ordenado que eles apagassem o email em questão.

De acordo com a matéria, testes realizados por Belfort três semanas antes do UFC 152 apontaram um nível de testosterona duas e meia vezes acima do que é considerado normal em um homem. À época, ainda não se sabia que Belfort fazia uso do TRT, tratamento de reposição de testosterona – o que causou muita polêmica nos combates que fez dali em diante, até o banimento da terapia. O carioca começou a fazer uso do TRT por volta de 2011, mas isso só se tornou público e motivo de debate à época do duelo com Michael Bisping.

Após o caso de Chael Sonnen, pego em antidoping em 2010, e com os lutadores passando a usar a permissão do TRT, o UFC teria passado a coletar exames para acompanhar os níveis hormonais dos lutadores. Em um destes exames, Belfort aparece com nível de testosterona livre acima do permitido.

Os testes apontam que a testosterona de Belfort estava com 1038 nanogramas – acima do normal de 700 nanogramas para um homem, mas ainda no limite. O problema é com a testosterona livre. O exame aponta, em destaque, “elevado”. O número é de 47,7 picogramas por mililitro, bem acima do aceitável – de 8,7 a 25,1.

Os exames, que apontam um nível alto para “free testosterone”, estão na segunda página:

Belfort document

“Isso seria inaceitável”, afirmou ao site Timothy Trainor, médico consultor da Comissão Atlética de Nevada. Se agum desses números for acima do normal, acende-se uma luz vermelha. Isso quer dizer, basicamente, que a pessoa tem alguma condição médica, ou que está ‘tomando’ testosterona, em altos níveis”. Segundo ele, os números não mostram que o caso é necessariamente passível de penalizações, mas levantam grandes dúvidas e tinham de ser analisados seriamente. Este combate aconteceu no Canadá, e uma comissão atlética de lá regulamentou os combates.

Exames repassados a destinatários errados

O outro problema seria no caso teria sido um acobertamento do resultado. De acordo com a matéria, o UFC deveria ter mandado os exames para três executivos, mas acabou enviando o email e o arquivo em pdf para um grupo de três dezenas de lutadores, técnicos e empresários. Depois disso, teria pedido para que todos destruíssem a mensagem, ameaçando tomar medidas legais se a informação vazasse.

Na troca de emails, de 4 de setembro de 2012, o UFC teria repassado o exame para 29 pessoas (entre lutadores, técnicos e empresários), e não os três executivos a que se destinavam a mensagem. Pouco depois, a organização teria enviado emails pedindo a destruição da mensagem original.

Em um deles, era dado o aviso: “Você recebeu, não intencionalmente, um email com informações pessoais e confidenciais de Vitor Belfort. Pedimos que você destrua esse email e seu conteúdo imediatamente e não dissemine seu conteúdo. VOcê não tem autoridade para ter posse ou distribuir informação de uma terceira parte. Por favor, note que se você disseminar as informações, a Zuffa não terá escolha, a não ser tomar as medidas judiciais cabíveis. (…) Por favor, contatem-me se tiverem dúvidas ou quiserem discutir o assunto”. Ike Lawrence Epstein, vice-presidente executivo, assina o comunicado.

O Na Grade buscou o UFC para comentar o caso e prestar esclarecimentos, mas a organização nos disse que não vai se pronunciar sobre a reportagem do Deadspin.


Vitor Belfort já foi pego em antidoping com nível elevado de testosterona, em 2006, em luta contra Dan Henderson, pelo Pride – o combate foi em Las Vegas. Uma das grandes polêmicas do TRT, e especialmente no caso do carioca, é que os níveis baixos de testosterona, que “pediam” pela terapia, podem ser causados justamente por abuso de esteroides no passado. O TRT foi banido em 2014.

Vale lembrar que o UFC 152 sucedeu e novela que virou a edição 151, cancelada por conta de lesões. À época, o rival de Jon Jones no UFC 151 seria Dan Henderson. O desafiante se machucou, e o Ultimate não conseguiu um rival para ele. Assim, a disputa de cinturão foi dada para Vitor Belfort, um peso médio subindo para o meio-pesado, e o combate foi marcado para o UFC 152, em 22 de setembro. No combate, Vitor quase conseguiu vencer Jones com uma chave de braço e chegou a lesionar o norte-americano. Mas acabou finalizado no quarto assalto.

Belfort está com luta marcada para 7 de novembro. Ele vem de derrota por nocaute técnico para Chris Weidman, em seu primeiro combate desde o fim do TRT. Agora, encara Dan Henderson pela terceira vez. Ele perdeu pela primeira vez em 2006 – quando testou positivo no antidoping – e venceu a segunda, em 2013. O combate será em São Paulo.

*Atualizada às 6h45 e 8h58

Sobre o blog

Saiba o que acontece dentro e fora do octógono, relembre as grandes histórias e lutas que fizeram o vale-tudo se tornar o MMA. Aqui também será o espaço para entrevistas, análises, debates, polêmicas e tudo que faz do MMA o esporte que mais cresce no mundo.
Contato: nagradedomma@gmail.com

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Na Grade do MMA
Topo