Topo
Na Grade do MMA

Na Grade do MMA

Nocautes idênticos marcam ápice e despedida de Belfort no UFC

UOL Esporte

14/05/2018 04h00

Belfort em nocautes sofridos contra Lyoto Machida e Anderson Silva (Foto: AFP/AP)

Em 22 anos de octógono, Vitor Belfort é um dos lutadores mais conhecidos e vitoriosos do MMA brasileiro. O "Fenômeno" viveu momentos inesquecíveis no UFC, como o nocaute a Wanderlei Silva e o recorde de campeão mais jovem da história, mas para parte dos torcedores ele terá sua carreira marcada por dois chutes idênticos: cortesias de Anderson Silva e Lyoto Machida.

Um chute certeiro na cabeça é o que une as datas 5 de fevereiro de 2011 e 12 de maio de 2018. Belfort encerrou tais dias "inteiro", sem cansaço ou sangramento, mas derrotado de forma incrível duas vezes.

Há sete anos ele disputava o cinturão dos pesos médios do UFC contra Anderson Silva. Pode-se discutir se era ou não seu auge técnico, mas Belfort chegou àquela luta na boca do povo: o duelo popularizou demais o MMA no Brasil e o alçou a novo patamar no país.

Naquela noite, em Las Vegas, Vitor Belfort controlou o centro do octógono por cerca de três minutos. Quase encaixou um cruzado, conseguiu uma queda e parecia mais concentrado. Quando começava a se sentir confiante na luta, porém, acabou nocauteou com um chute frontal do "Spider" aos 3min29 do primeiro round, após ter o queixo acertado pelo pé esquerdo do adversário.

A cena ficou tão marcante que é usada até hoje na abertura da transmissão de todo card principal do UFC. Para os brasileiros, o golpe tornou-se uma referência, alvo de comentários e levou a dupla a programas bem distantes do MMA como "Mais Você", "Altas Horas" e outras atrações que não tem o esporte como carro-chefe. Esportivamente, foi o maior momento em que Belfort teve a maior visibilidade na mídia.

Sete anos se passaram e, como uma sina, o mesmo nocaute tratou de encerrar a história do "Fenômeno" no UFC. Em sua despedida, Belfort foi atingido pelo mesmo chute frontal com o pé esquerdo acertando o queixo, enquanto a perna direita ficava no solo. Mudou apenas o autor do golpe: o também compatriota Lyoto Machida, que encontrou a mesma janela e aproveitou para vencer a luta do último sábado no segundo round. E lembre-se que Lyoto Machida já havia vencido a luta contra Randy Couture em 2011, com um chute no rosto do norte-americano, mas dando um pequeno salto antes de desferir o golpe.

Entre as duas lutas, uma das poucas diferenças foi a forma como os confrontos acabaram. Anderson precisou desferir alguns golpes em Belfort depois do chute, antes de o confronto ser paralisado. Já o golpe do sábado foi mais emblemático. Atingido por Machida, o "Fenômeno" caiu desacordado no octógono, enquanto o rival ajoelhava e esperava a recuperação do derrotado, atendido prontamente pelos médicos.

Belfort pagou o preço e acabou aposentado da pior maneira — de seu ponto de vista, é claro. O Fenômeno, que está no negócio desde 1996, pendura as luvas com cartel de 26 vitórias e 14 derrotas (uma luta sem resultado). Ele ganhou o Torneio de Pesados do UFC 12, há mais de vinte anos, e deteve o cinturão dos meio-pesados em 2004. De lá para cá desafiou três campeões, "Spider", Jon Jones e Chris Wiedman, mas não conseguiu destroná-los. E com a trajetória marcada por dois golpes tão parecidos e tão emblemáticos.

Por Arthur Sandes
Do UOL, em São Paulo

Sobre o blog

Saiba o que acontece dentro e fora do octógono, relembre as grandes histórias e lutas que fizeram o vale-tudo se tornar o MMA. Aqui também será o espaço para entrevistas, análises, debates, polêmicas e tudo que faz do MMA o esporte que mais cresce no mundo.
Contato: nagradedomma@gmail.com