PUBLICIDADE
Topo

Na Grade do MMA

Top 5: Os cards mais grandiosos da história do UFC

Maurício Dehò

13/05/2015 06h00

Dando continuidade à série de "top 5" no blog, que começamos com 5 lutadores com as mãos mais pesadas do UFC e passamos pelos 5 maiores artistas da finalização, desta vez é hora de vislumbrar o que teremos no UFC 187 para eleger os cinco cards mais empolgantes que Dana White e seus matchmakers já organizaram.

Se o UFC 187 terá duas disputas de cinturão de categorias nobres, nos médios (Chris Weidman x Vitor Belfort) e meio-pesados (Daniel Cormier x Anthony Johnson), não será a primeira vez que tantas estrelas estarão juntas.

O problema é que esta preocupação em casar eventos massivos – em vez de dividir suas estrelas em muitas edições menos fortes do que poderiam – é recente, então a maioria dos cards listados é da nova fase do Ultimate.

Vamos então à lista, que vai de cards mais lotados de estrelas a recorde de público, passando por eventos em que a importância do local falou mais alto. E não esqueça de dar seu top 5 nos comentários!

Menções honrosas: UFC 1  (pela imprevisibilidade e diversidade diante de todos aqueles lutadores de artes tão diferentes), UFC 52 (Liddell x Couture, Hughes x Trigg), UFC 13 (com dois GPs e Belfort x Abbott), UFC 79 (GSP x Hughes, Liddell x Wanderlei), UFC 92 (Evans x Griffin, Mir x Minotauro, Rampage x Wanderlei) e UFC 168 (Weidman x Anderson e Ronda x Miesha)

UFC_112_Poster5. UFC 112
Esta quinta posição não vai apenas para o UFC 112 pelas lutas casadas, mas pela ousadia do evento, como um todo. Foi o primeiro evento da organização nos Emirados Árabes Unidos, em Abu Dhabi. E mais, ao ar livre, em uma arena temporária levantada no parque temático da Ferrari. Entre as lutas, Anderson Silva contra um Demian Maia em alta pelas suas finalizações, valendo cinturão dos médios, e Frankie Edgar encarando BJ Penn pelo título dos leves, além de Matt Hughes encarando Renzo Gracie. Na hora da ação, Hughes nocauteou Renzo, Edgar tomou o título de Penn, mas o que marcou foi a chata luta de Anderson, em que o campeão desrespeitou Demian o tempo todo e foi detonado por fãs e o próprio UFC.

4. UFC 146
O UFC sempre teve problemas de quantidade e qualidade no peso pesado. Mas, este card em Las Vegas superou as expectativas, com nada menos que cinco combates da categoria máxima. A princípio, a coisa seria ainda melhor, com o campeão Júnior Cigano fazendo a primeira defesa de cinturão contra Alistair Overeem, mas o holandês caiu no antidoping. Assim, o catarinense bateu o ex-campeão Frank Mir. Cain Velásquez atropelou Pezão, Roy Nelson fez o mesmo com Dave Herman, e o card principal acabou com quatro nocautes e uma finalização, em apenas 21min50s de ação.

3. UFC 129
O Rogers Centre, em Toronto, Canadá, recebeu o que até hoje é o recorde de público do UFC: 55.724 pagantes acompanharam duas disputas de cinturão e um confronto de meio-pesados entre ex-campeões. Apostando no apaixonado público canadense, o Ultimate colocou Georges St-Pierre na luta principal, e o astro local venceu por pontos Jake Shields – que à época não perdia combates havia seis anos. Já José Aldo fez sua estreia no Ultimate, promovido a campeão depois da compra do evento WEC. E a luta não decepcionou. Ele venceu Mark Hominick, mas deu emoção ao público ao apanhar muito no finzinho do combate. E ainda teve aquele chute "Karate Kid" de Lyoto Machida em Randy Couture, aposentando o ex-campeão.

2. UFC Rio 1
Particularmente empolgante para o público brasileiro, o UFC 134 foi o primeiro realizado na terra da família Gracie em 13 anos e apenas o segundo na história. No casamento de lutas, não havia duelos tão marcantes, mas o apelo de ter Anderson Silva contra o último a derrotá-lo (se bem que pode desqualificação do brasileiro) e Maurício Shogun contra um ex-campeão já bastavam para atrair os amantes de MMA. Os resultados acabaram consagrando a festa: nocautes arrasadores para Anderson, Shogun e de um Minotauro voltando de lesões, além de vitórias de lutadores como o Caveira Paulo Thiago e a revelação Erick Silva.

1. UFC 100
A grande cartada do UFC foi a edição número 100, que por seu número redondo foi comemorativa para a organização. Fora Anderson Silva, o evento apostou em seus maiores nomes: o ex-WWE Brock Lesnar, que arrastou muitos fãs para a franquia, colocou o cinturão dos pesados em jogo contra o o campeão interino Frank Mir em uma revanche e venceu por nocaute, e Georges St-Pierre defendeu o título dos meio-médios contra o brasileiro Thiago Alves, triunfando por pontos. O resultado mais memorável do evento foi o nocaute do veterano Dan Henderson que apagou Michael Bisping e ainda saltou para mais um soco no inglês já caído. O card ainda teve o jovenzinho Jon Jones, o ex-campeão Mark Coleman, Jon Fitch, Paulo Thiago, Jim Miller… E, para provar que este foi o maior card do UFC, basta notar que ele ainda detém o recorde da maior venda de pay per views da história, com 1,6 milhão de pacotes comercializados.

Depois da disputa do próximo dia 23, onde será que poderemos classificar o UFC 187?

Sobre o blog

Saiba o que acontece dentro e fora do octógono, relembre as grandes histórias e lutas que fizeram o vale-tudo se tornar o MMA. Aqui também será o espaço para entrevistas, análises, debates, polêmicas e tudo que faz do MMA o esporte que mais cresce no mundo.
Contato: nagradedomma@gmail.com

Blog Na Grade do MMA