PUBLICIDADE
Topo

Na Grade do MMA

Top 5: As eternas promessas do UFC

Jorge Corrêa e Maurício Dehò

27/05/2015 06h00

Seguimos com o nosso Top 5 semanal, agora no embalo do UFC Goiânia, que será disputado neste sábado, com Thiago Alves encarando Carlos Condit na luta principal. E, no card principal, temos como a penúltima luta da noite Charles do Bronx em destaque.

O paulista do Guarujá faz parte de uma lista interessante: a das revelações que teimam em não vingar dentro do Ultimate. Aqueles lutadores que pintam como enormes promessas, vencem alguns bons combates, deixam os fãs babando e vislumbrando aquele cinturão… que nunca vem.

O Brasil é bom em produzir esse tipo de nome, principalmente pela atenção que se dá a quem está vencendo e pela carência de ídolos, de lutadores que possam surgir como um "novo Anderson", "novo Wand", "novo Minotauro" e assim por diante. Mas a realidade do MMA é que derrotas são bem mais comuns do que se gostaria, e o caminho das pedras é árduo e cheio de reviravoltas. Vamos à lista – e queremos ver a sua nos comentários.

Menções honrosas: John Lineker, Diego Brandão, Diego Sanchez, Josh Koscheck, Chris Leben, Tony Ferguson, Ryan Bader…
 

5. Brendan Schaub: Lá nos EUA, não há como comparar o futebol americano com o MMA. Então, ter um ex-jogador, mesmo que de uma liga de acesso à NFL, no plantel do UFC foi algo pra lá de animador. Schaub foi do Utah Blaze, da Arena Football League, mas migrou para o MMA seguindo os passos na luta do pai. No TUF, chegou à final, mas perdeu para Roy Nelson. Depois, embalou com quatro vitórias, sendo três por nocaute, mas foi derrotado por Minotauro numa luta memorável no UFC Rio 1. Depois disso, mistura derrotas e vitórias. São quatro reveses nas últimas seis lutas, e agora ele tentará a sorte como meio-pesado.
 

4. Charles do Bronx: Protagonista da luta coprincipal em Goiânia, Charles tem só 25 anos, mas já está há cinco no UFC. Desde o começo, sua versatilidade e criatividade no jiu-jítsu para finalizar empolgaram os torcedores. Mas, os resultados vieram oscilantes como uma gangorra. No peso leve, ele estreou com vitórias, mas teve uma série de três lutas sem vencer – uma um no contest contra Nik Lentz, rival deste sábado, por um golpe ilegal. Agora, ele luta no peso pena. Apesar de perder para dois nomes fortes, Cub Swanson e Frankie Edgar, Charles está com três vitórias seguidas, é oitavo no ranking e tem tudo para deixar esta nossa lista para trás em breve.

 

3. Uriah Hall: Ninguém se safa de criar enormes expectativas depois de ganhar o apelido de Homem Ambulância, por conta de um nocaute com chute rodado que levou um rival ao hospital O norte-americano Uriah Hall fez isso no TUF 17, e logo se pensou que pintava um rival para o então campeão Anderson Silva nos médios. Mas, Hall sequer venceu o TUF. Ele teve atuação decepcionante na final. Depois, perdeu a luta seguinte, deu a volta por cima com três triunfos, mas no último sábado perdeu para Rafael Sapo. Hall já tem 30 anos.
 
2. Cezar Mutante (e outros campeões do TUF Brasil): A lista de eternas promessas é totalmente influenciada pelo que rola no TUF. E, nas edições brasileiras, os campeões ainda não conseguiram alcançar a fama a que pareciam destinados. Cezar Mutante, por exemplo, teve atuações arrasadoras na época da primeira temporada e ganhou fama como "braço-direito" de Vitor Belfort. Mas, depois do título, segue vacilante. Os nocautes que tomou de CB Dollaway e Sam Alvey foram brutais, a ponto de agora ele descer para o meio-pesado. Mas não foi só ele. Rony Jason, campeão dos penas do TUF Brasil 1, tem duas derrotas em três lutas. Cara de Sapato perdeu na primeira luta pós-reality. As exceções são Léo Santos (um empate e duas vitórias após o TUF, mas sem empolgar) e Warlley Alves, que segue invicto.
 

1. Erick Silva: Campeão do Jungle Fight, Erick Silva estreou no histórico card do UFC Rio 1. Além de toda a atenção que já se dava por seus resultados, ele ainda surgiu com a benção de Anderson Silva. Sparring do então campeão, Erick tem um jogo bonito, gosta de jogar movimentos plásticos, e naquela primeira luta no Ultimate, nocauteou em 40 segundos. Bastou para virar "promessa". Mas, apesar de alguns bons triunfos, ele sempre falhou na hora de enfrentar gente grande. Jon Fitch, Dong Hyun Kim e Matt Brown foram rivais do brasileiro em lutas emocionantes, mas que acabaram com derrota. Agora, Erick pega Rick Story para no fim de junho, para ter três vitórias seguidas pela primeira vez no Ultimate. Agora vai?

Leia também
Os 5 lutadores de mão mais pesada
Os 5 maiores artistas da finalização
Os 5 cards mais grandiosos do UFC
Os 5 melhores chutadores
As eternas promessas do UFC

Sobre o blog

Saiba o que acontece dentro e fora do octógono, relembre as grandes histórias e lutas que fizeram o vale-tudo se tornar o MMA. Aqui também será o espaço para entrevistas, análises, debates, polêmicas e tudo que faz do MMA o esporte que mais cresce no mundo.
Contato: nagradedomma@gmail.com

Blog Na Grade do MMA